“Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças… Ame o seu próximo como a si mesmo.”
Marcos 12:30-31

Este encontro, dos 30 em que andaremos juntos, traz reflexões e princípios que nos ajudarão na tomada da primeira decisão: a de admitir que precisamos restaurar alguns relacionamentos quebrados. Relacionamentos podem ter o efeito de empoderar ou de destruir a vida.
Para começar, devemos nos lembrar de que relacionamentos saudáveis são fundamentados no amor. Precisamos amar a Deus, a nós mesmos e ao nosso próximo. Jesus, sabiamente, estabeleceu uma linha de equilíbrio na questão de quem é o nosso próximo. Ele argumenta que uma espiritualidade que só ama a Deus, e não ao próximo, não entendeu nada do Reino de Deus. Logo, a verdadeira espiritualidade é aquela que se expressa, de forma íntima, em formato de cruz: na vertical, com Deus e consigo, e na horizontal, com o próximo. O programa 30 Semanas, busca trazer uma perspectiva de reavaliação dos relacionamentos nestas três áreas. Essa ferramenta o direcionará para a construção e restauração de seus relacionamentos, reedificando pontes. O início do processo se dá na compreensão de que ninguém é perfeito e que as imperfeições dificultam os relacionamentos. A admissão de meus erros me levará ao próximo passo, o de perceber que o outro também pode errar, e que Deus perdoa a todos: a mim, o outro, e me convida a perdoar também.

“Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz,
temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus,
seu Filho, nos purifica de todo pecado.”
1 João 1:7
É necessário compreender que vivemos num mundo contaminado pelo erro e pelo pecado, porém, Deus já perdoou a cada um de nós através do sacrifício de Cristo na cruz e, por isso, Ele nos leva a praticar o perdão. Devemos perdoar o próximo e a nós mesmos, e pedir perdão por nossos erros, inaugurando assim um processo de cura em todos os relacionamentos.
“Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados!
Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa e em quem não há hipocrisia!
Enquanto eu mantinha escondidos os meus pecados, o meu corpo definhava de
tanto gemer. Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim; minhas forças
foram se esgotando como em tempo de seca. Então reconheci diante
de ti o meu pecado e não encobri as minhas culpas. Eu disse: Confessarei
as minhas transgressões ao Senhor, e tu perdoaste a culpa do meu pecado.”
Salmo 32:1-5
Os relacionamentos são inevitáveis, assim como as dores que decorrem deles. Por isso cremos que todos precisam do “30 semanas”; todos em algum momento de suas histórias, já magoaram, feriram ou foram feridos. A disposição de admitir abre a porta da vida plena em Deus, na medida em que ensina o trilhar o caminho da autenticidade. Existem alguns tipos de relacionamentos, que são:
● Relacionamentos saudáveis;
● Relacionamentos superficiais;
● Relacionamentos em construção;
● Relacionamentos problemáticos;
● Relacionamentos em crise;
● Relacionamentos rompidos.
Nosso foco aqui é pensar nos 3 últimos: os relacionamentos problemáticos, em crise e rompidos. E o grande desafio é não pensar nas pessoas com as quais você se relacionou, e sim, em você. Eles não estão no processo no qual você se encontra e, se estiverem, terão que tomar as suas próprias decisões.
Reflita:
Você tem algum tipo de problema relacional: com Deus, com você, com os outros?
Sim ( ) Não ( )

  1. Reconhecer é importante
    Aquele que não reconhece que tem problemas, inclusive em relação a relacionamentos, permanece na negação, ou seja, se coloca como um ser perfeito. A negação é o ato de não admitir; é o ato de ignorar, disfarçar, desconversar e intencionalmente esquecer uma situação, acontecimento ou sentimento que cause desconforto, irritação ou dor a nós mesmos e ou a outras pessoas.
    A negação encontra apoio em um falso sistema de crenças, um comportamento de autoproteção que acionamos para impedir que encaremos com honestidade a verdade que nos incomoda.
    Na infância, aprendemos táticas de sobrevivência. Elas são necessárias quando não se consegue a atenção desejada dos pais ou de outras pessoas, como também para que sejam bloqueados dores e medos. Talvez você tenha passado por alguma situação difícil e disse muitas vezes: “prefiro esquecer isso!”. Com o passar dos anos, essas táticas e afirmações confundem a realidade sobre a sua vida. Durante o amadurecimento, a percepção sobre si e as expectativas sobre aqueles ao seu redor aumentam. Os fatos vivenciados acabam sendo esquecidos ou distorcidos em função da autopreservação; como consequência, a percepção da realidade torna-se cada vez mais irreal e distorcida, afetando os relacionamentos e tornando-os insatisfatórios.
    Reflita:
    O que impede você de reconhecer que tem problemas relacionais?
    – Vergonha – Pensar que admitir não resolve
    – Dor – Pensar que não há perdão
    – Entender não ser importante – Medo
    – Morte daquele que feriu – Nada – Outros:
  2. Alguns comentários são comuns na mentalidade de negação. Você já usou algum deles?
    o “Vamos parar de falar nisso. Melhor mudarmos de assunto.”
    o “Se eu não tocar mais nesse assunto, o tempo se encarregará de apagar.”
    o “Melhor fingir que nada aconteceu e tudo ficará bem.”
    o “Eu não sou tão errado assim.”
    o “Eu tenho essa atitude para esquecer.”
    o “Eu me casei apenas duas vezes, conheço gente que se casou quatro.”
    o “Muita gente se comporta pior do que eu.”
    o “Quando me lembro ou alguém fala do que vivi, nem me dói tanto.”
    o “Se você não implicasse tanto comigo, eu não agiria mais assim.”
    o “Faço assim, mas você já notou que também me trata da mesma maneira?”
    Todos já vivemos, ou ainda viveremos, uma situação que tenha afetado tão profundamente as emoções que negar o que houve pode parecer ser o melhor caminho para trazer alívio. Deus não quer que isso o paralise. Ele quer que falemos a nossa parte e nos tornemos verdadeiramente saudáveis em todos os sentidos.
    O espaço que a negação ocupa na vida de alguém geralmente é grande e, como consequência, o leva a viver ao redor desse problema (por incrível que pareça) e afastado de uma vida autêntica, livre e plena. Esse é um caminho curto e ineficaz, mas a presença de Jesus é curadora, libertadora e redentora – Ele é verdadeiramente o Caminho:
    “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.
    Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.”
    João 14:6
    Algumas pessoas chegam a colocar a culpa em Deus por algo que tenha acontecido, ou acreditam que Deus nunca existiu, ou que Ele não estava lá quando aconteceu e, por isso, não conseguem vê-Lo como Pai. Saiba que Deus sempre esteve presente, sempre viu, nunca foi embora e sempre amou você profundamente. Há coisas que Ele vai lhe explicar melhor. E, Ele já decidiu perdoar você de todos os seus pecados e o convida a se perdoar. Ele também o convida a reconhecer seus erros, pedindo perdão às pessoas que lhe feriram, assim como perdoar àquelas que o feriram.
    Por hora, nosso desejo e oração é que você reconheça que pode existir algum problema no seu relacionamento com Deus, com você mesmo ou com o próximo, para então, poder buscar a cura.
    Uma grande questão aqui é o nome da rejeição. Todos tivemos algum rompimento, algum problema ou crise que danificaram nossas relações. Em especial a nossa relação com Deus, nosso Pai.
    Reflita:
    Você acredita que seu comportamento afeta seus relacionamentos?
    Sim ( ) Não ( )
    Muitos passaram por abusos verbais, emocionais, físicos, na sua área da sexualidade, rejeição, abandono, divórcio, luto, relacionamentos destrutivos, vícios de todos os tipos, entre outras coisas. Todas estas experiências trazem consequências danosas, se não forem tratadas.
    Por onde começar? Olhe para si, identifique as feridas abertas e vá de encontro ao seu problema, mas não sozinho. Chame Jesus para que Ele ande ao seu lado.
    Partilhe suas feridas e dores em um ambiente saudável. No programa 30 Semanas, temos os grupos de apoio, que se reúnem todas as semanas para possibilitar a todos os participantes partilhar sobre suas dores e aprender com as experiências uns dos outros. Seja bem-vindo ao melhor momento de sua vida! Hoje é o dia em que dirá: “Eu saí da negação e iniciei meu processo de cura!”
    Reflita:
    Você se compromete a sair da negação? Sim ( ) Não ( )
  3. Não reconhecer alimenta o medo
    “Livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem.”
    Hebreus 12:1-3
    a) Medo do passado
    Deus tem um plano de vida plena para todos nós; vida sem dependências e obsessões. Para muitos, as feridas, dependências e maus hábitos prendem e fazem tropeçar. Estes se tornam presos na amargura, por causa de algo que alguém fez, e se recusam a perdoar aqueles que lhe causaram alguma dor. Pode ser que você esteja magoado com alguém, mas manter isso na negação e não lidar com essa dor é permitir que essa situação continue a feri-lo. É como tomar um copo de veneno esperando que o outro morra.
    Quando colocamos Jesus Cristo como referência, encontramos o poder que dá forças para perdoar e nos libertar.
    Por outro lado, talvez você esteja preso na culpa e pense que ninguém é tão ruim quanto você, e imagina que ninguém pode amá-lo pelas coisas terríveis que fez. Compreenda que Deus pode! Para o perdão dos pecados é que Jesus foi crucificado. Ele sabe tudo o que você já fez ou viveu e já decidiu perdoa-lo.
    Reflita:
    Você acredita que você foi perdoado por Deus?
    Sim ( ) Não ( )
    b) Medo de mudar
    “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor
    expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele
    que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”
    1 João 4:18
    A preocupação com o que as pessoas pensam a seu respeito ou o medo de mudar podem paralisar você. Talvez, você pode estar preocupado com o que pode acontecer quando mudar. Contudo, lembre-se: a preocupação pode significar falta de confiança em Deus.
    Pode ser que esteja vivendo na negação de suas dores há muito tempo e se pergunte: “o que acontecerá se realmente der uma chance para mudar?”, “quem eu serei?” ou “que tipo de pessoa me tornarei?”. Todos temos receios a respeito do desconhecido, mas precisamos colocar isso debaixo da autoridade de Cristo, ao decidirmos andar pela fé e realmente crer no que Jesus tem de bom para nós.
  4. Para viver relacionamentos saudáveis:
    a) Não vou continue sem resolver seus problemas
    “Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção,
    pois o homem é escravo daquilo que o domina.”
    2 Pedro 2:19
    Esconder seus sentimentos e viver na negação pode congelar suas emoções, prejudicar seus sentimentos e paralisar você. Entretanto, quando compreende e admite que tem um problema, pode enxergar melhor o que está acontecendo e encontrar a liberdade.
    Contando com Jesus para ajudá-lo a sair da negação, será possível conquistar essa liberdade e viver a plenitude de seus verdadeiros sentimentos. Há muitas pessoas que têm grandes problemas. É como se fosse um elefante cor de rosa andando pela sala, mas as pessoas tentam dizer que ele não existe, ou seja, preferem fazer de conta que não tem problema nenhum.
    b) Gaste energia com o que ajuda
    “Ele defende a causa dos oprimidos e dá alimento aos famintos.
    O Senhor liberta os presos, o Senhor dá vista aos cegos, o Senhor
    levanta os abatidos, o Senhor ama os justos.”
    Salmo 146:7-8
    Uma das grandes prisões da alma é a ansiedade. Ela causa a cegueira espiritual e o desperdício de uma energia preciosa, pois leva-nos ao temor do futuro, ao lado das feridas do passado que ainda estão abertas. Ao entregarmos a Deus nossos medos e preocupações, Ele nos traz liberdade desse sentimento.
    Transfira a energia que tem gasto com a negação e, talvez, a ansiedade que veio em função do não lidar com o assunto, para o conhecimento da verdade de Deus. Desenvolva um amor saudável com Ele, com você mesmo e com as pessoas à sua volta. Quanto mais depender de Deus, mais verdade virá sobre a sua realidade.
    c) Enfrente a dor de frente
    “Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e eles os salvou da tribulação
    em que se encontravam. Ele os tirou das trevas e da sombra mortal,
    e quebrou as correntes que os prendiam.”
    Salmo 107:13-14
    Os nossos segredos nos fazem adoecer. Lidar com as situações difíceis e trabalhar o perdão, entre outras coisas, pode ser bem dolorido, mas é extremamente necessário e saudável.
    “Enquanto escondi os meus pecados, o meu
    corpo definhava de tanto gemer.”
    Salmo 32:3
    Adão e Eva são exemplos de como os segredos e a negação nos separam da verdadeira comunhão com Deus. Depois de pecarem, Adão teve medo de Deus, negou seu ato e culpou Eva, dizendo que fora ela quem havia lhe dado o fruto da árvore (Gênesis 3.12). Seu segredo os separou de Deus e, consequentemente, também trouxe separação para as futuras gerações da humanidade.
    Ao caminhar rumo a sua restauração, perceberá que Deus não desperdiça uma única ferida: ao abrir mão da negação, Ele sarará sua dor e lhe aproximará da verdade que está Nele.
    d) Traga luz às situações
    “Deus é luz; nele não há treva alguma. Se afirmarmos
    que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas,
    mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém,
    andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão
    uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho,
    nos purifica de todo pecado.”
    1 João 1:5-7
    Às vezes você pode pensar: “ninguém sabe sobre o que aconteceu”. Isso não é verdade, pois nada está oculto aos olhos de Deus. Quando vive em negação, a pessoa não ousa revelar seu verdadeiro “eu”, mas este “eu” já é conhecido por Deus, bem como pelo inimigo de nossas almas. O preço do esforço em guardar um segredo é alto: perda de relacionamentos, uma das maiores preciosidades que Deus nos dá. A luz sempre é o melhor remédio.
    Reflita:
    Você tem algum segredo?
    Sim ( ) Não ( )
    Conclusão
    “Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira
    e falar a verdade ao seu próximo, pois todos
    somos membros de um mesmo corpo.”
    Efésios 4:25
    A negação atrapalha seu relacionamento com Deus, com você mesmo e com todos a sua volta.
    “Farei cicatrizar seu ferimento e curarei suas feridas”
    Jeremias 30:17
    “Só Ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas.”
    Salmo 147:3
    Decida hoje, sair da negação e iniciar uma caminhada em busca de uma vida plena com Deus, com você mesmo e com os outros. Como o pastor Bill Johnson declarou: “Quando Deus invade a vida de uma pessoa, as coisas mudam. Não somente isso, mas o impacto dessa pessoa no mundo também muda.”
    Neste processo somos incentivados a tomar decisões, as quais Jesus também incentivou e direcionou para os que O seguem. Assim como os discípulos de Jesus, cada um terá a oportunidade de realizar escolhas para mudar sua maneira de viver, para que possam diariamente buscar uma vida de liberdade e plenitude.
    Pergunta facilitadora:
    O que atrapalha seus relacionamentos?

2 respostas

  1. Admitir é a chave para mudança e que precisamos de Jesus da sua palavra , oração para vencer os obstáculos que surgirão após nossas decisões.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *